O excesso de rigor técnico no contrato de franquia não tem mais gerado o retorno esperado aos franqueadores e franqueados. O Direito evoluiu de tal modo que o estabelecimento de regras em um contrato de franquia tem se mostrado insuficiente para impedir conflitos de interesses entre franqueador e franqueados.

Então, quando falamos em serviços jurídicos, o franchising, hoje, exige um advogado que esteja apto a negociar e mediar conflitos. Com experiência em conciliação, além de amplo conhecimento jurídico na área.

Tudo isso para garantir o melhor retorno possível ao cliente seja ele um franqueado ou um franqueador.